Breaking News

sexta-feira, 31 de maio de 2019

De “não garantido” em 2020, a líder da Indy e campeão das 500 Milhas: a história – até o momento – de Simon Pageneuad em 2019- O que mais o francês vai aprontar


No início do ano, havia um piloto que não tinha ideia se teria um carro para o ano que vem na Fórmula Indy. Talvez este fosse seu último ano na categoria. Era, talvez, o piloto mais contestado de todo o grid, mesmo sendo da equipe que possuía o melhor carro.
Começou a temporada, e os resultados não ajudavam. Fora dos “Top 10”, derrotas em classificações... tudo contra. Parecia que realmente em 2020 não estaria mais ali.
De repente... Maio. Chega o Grande Prêmio de Indianápolis. E o cara me tem uma performance simplesmente espetacular debaixo de uma chuva pesadíssima, e vence a corrida!
Logo depois, as 500 Milhas de Indianápolis. Opa, aí a história é outra, certo? Afinal, é “só” uma das 3 principais corridas do automobilismo mundial. Pressão. História. Mística de um lugar onde os maiores já correram e outros enormes ainda correrão.
Pois é... a história não foi outra. Esse cara fez a pole position; liderou quase a corrida inteira; foi ultrapassado a 2 voltas do final, por um Alexander Rossi com “sangue nos olhos”...retomou a liderança a uma volta do fim... e colocou seu nome na história e seu rosto no troféu mais desejado por todos os pilotos – e claro, tomou o “leite sagrado” no pódio.
Parece roteiro de filme, mas é o roteiro, até o momento, do que vem sendo o 2019 do francês Simon Pageneaud. O francês vive um momento iluminado. Sua performance em Indianápolis beirou a perfeição. Claro, a Equipe Penske tem um carro excepcional, uma estratégia absurda... mas não é novidade que apenas isso não garante vitórias. Pageneaud mostrou – especialmente a quem duvidava dele, lá atrás - , que não só é um piloto talentoso, mas arrojado, que sabe a hora de partir pra cima, a hora de se defender, assim como é um profissional que não cede à pressão. Os ataques absurdos de Rossi nas últimas voltas mostraram isso. O francês deu uma AULA de pilotagem. Assistindo a corrida, juro que pensava que não ia ter jeito; pois ele fez de tudo um pouco: defendeu de todas as formas para não ser ultrapassado, cortou o vácuo de Rossi, “fechou a porta” do americano várias vezes... e quando finalmente o adversário conseguiu passá-lo, a somente 2 voltas do fim da prova, manteve o equilíbrio para dar o troco na volta seguinte de maneira espetacular, e partir para a vitória. Se as primeiras 150 voltas não foram de tanta emoção assim, as últimas valeram por várias corridas!
Agora, com a vitória, Pageneaud assume a ponta do mundial, com apenas 1 ponto de vantagem sobre Josef Newgarden, seu companheiro de equipe. E considerando tudo o que passou até aqui para chegar à liderança, justo no Indianápolis Motor Speedway, vai fazer de tudo para conseguir o título. De minha parte, espero novos shows desse francês que não abaixa a cabeça sob qualquer circunstância contrária... essa disputa será muito boa!
A próxima etapa já é nesse fim de semana em Detroit, no circuito misto de Belle-Isle Park. A corrida 1 será no sábado, dia 01/06 e a segunda corrida no domingo. Promessa de mais um pega quente na disputa do título dessa temporada que já começou bastante equilibrada, com 5 vencedores diferentes nas 6 primeiras corridas.
Curtinhas sobre a prova!!!
 - Nos olhos dos outros é refresco...
 Alexander Rossi quase não teve a chance de protagonizar a disputa espetacular com Pageneaud ao fim da prova: Um problema no bico da bomba de abastecimento o fez perder enorme tempo em seu penúltimo pit stop. Foi salvo por uma bandeira amarela providencial provocada por uma batida na entrada dos boxes de Marcus Ericsson; assim, voltou em 7º lugar e pôde fazer a corrida de recuperação sensacional que vimos até o final.
 - Juntos e Misturados ... no asfalto!
Um acidente incrível aconteceu envolvendo os carros de Sebastien Bourdais e Rahal, levando junto Rosenqvist e Veach. 4 carros fora de combate, destroços espalhados por toda a pista, e a corrida paralisada, com os carros tendo de voltar aos boxes. Só foi retomada faltando 14 voltas para o final.
 - Olha o Japa no fim!!!
Discreto durante a maior parte da prova, Takuma Sato partiu com tudo no finalzinho! Foi galgando posições, e terminou em um fantástico 3º lugar, atrás somente dos 2 Penske! Um fim de corrida sensacional para o Japonês da RLL!!!
 - Brazucas
Os brasileiros tiveram um desempenho razoável, se unirmos os 3 resultados: o 9º lugar de Tony Kanaan foi muito bom, considerando que seu Foyt não está entre os melhores carros – assim como o 15º lugar de Matheus Leist, da mesma equipe de Tony. Matheus inclusive vem demonstrando bastante qualidade nessa segunda temporada na Indy. O quarto lugar no traçado misto em Indianápolis, há duas semanas, sendo este o melhor resultado da AJ Foyt em 5 anos, demonstra a força dessa jovem promessa brasileira que em um carro mais equilibrado pode aprontar algumas surpresas.
Já o 18º lugar de Hélio Castroneves foi, no mínimo, decepcionante. Esteve entre os primeiros no início da corrida e fazia uma boa prova até um pit stop onde se enroscou com James Davison nos boxes; danificou o carro e acabou tendo de pagar um drive-through... daí pra frente, ficou sempre atrás, sem chances de brigar pela prova.
 - Já faziam 99 anos...
Pois é! Desde 1920 um francês não vencia em Indianápolis! O último tinha sido Gaston Chevrolet. Anteriormente, outras 2 conquistas, com Julex Gous, em 1913, e René Thomas, em 1914. Com a vitória de Simon Pageneuad, a França desempata com a Itália e se torna o 4º país com o maior número de vitórias em Indianápolis, com 4. Em 1º estão os EUA, com 72 vitórias; em 2º o Reino Unido, com 8; o Brasil está em 3º, com 7.
 - Na “seca”...
Apesar dos EUA serem o maior vencedor da Indy 500 de longe, desde 2016, com Alexander Rossi, um piloto da casa não vence a corrida. Em 2017 o vencedor foi Takuma Sato (Japão), e em 2018 o australiano Will Power.

É isso, galera! Esperamos que tenham curtido o texto! Se quiserem contribuir de alguma forma, deem um toque nos comentários abaixo! Critiquem, peçam matérias, enfim, participem conosco! Quanto mais tivermos a participação de vocês, mais iremos crescer, melhorar e entregar um material de qualidade cada vez maior pra todos!
Um grande abraço a todas e todos,
Renato Mello e Rodrigo Ricoy

Foto: Borg-Warner Trophy

Por: Renato Mello e Rodrigo Ricoy
Twitter: @mellorenato
@dih_ricoy
             @vaiquetotevendo

Nenhum comentário:

Postar um comentário