Breaking News

quarta-feira, 3 de julho de 2019

Procura-se um "ponta de lança"

Jorge Jesus observa o jogo treino contra o Madureira. Reprodução: Alexandre Vidal / Flamengo.

Não é novidade que esse é o atual pensamento no Ninho do Urubu. O técnico Jorge Jesus pediu a diretoria que alterasse a prioridade nas contratações, colocando no topo da lista um centroavante, ou "ponta de lança", como se chama em Portugal. Na visão de Jesus, Gabigol e Bruno Henrique não se encaixam nessa função e os jovens Lincoln e Vitor Gabriel ainda não estão maduros para tal.


Jonas e Lima comemoram gol pelo Benfica na temporada 14-15. Reprodução: Conmebol.


Os jogadores dessa posição costumam ter ótimo desempenho sob o comando de Jesus. Algumas duplas de ataque como Saviola e Cardozo, Lima e Jonas, ambas no Benfica e Teo Gutierrez e Bas Dost, no Sporting, tiveram números muito expressivos quando foram treinados por ele.

O desejo do português, agora no Flamengo, é encontrar um parceiro de ataque para Gabigol. Rumores apontaram para Raniel, do Cruzeiro, Gilberto, do Bahia e até mesmo os nomes de Falcao Garcia e Diego Costa foram especulados. 


Pedro, em partida pelo Fluminense. Reprodução: Lucas Merçon.


Para a surpresa de muitos o Flamengo foi atrás de Pedro, jovem centroavante do Fluminense, que despontou em 2018 como um dos melhores na posição atuando em território nacional, chegando a ser convocado para a seleção brasileira, porém, tendo sido cortado por ter sofrido uma grave lesão que o tirou dos gramados por quase 8 meses. 

O Flamengo apresentou uma proposta de €10mi ao Fluminense, prontamente recusada pelo presidente do clube, Mário Bittencourt, recém empossado no cargo. Logo em seguida o rubro-negro aumentou a proposta para €12mi e, novamente, foi recusada. 


Após toda a repercussão, Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, prometeu ao presidente rival que não haveriam mais tentativas, pensando no recente bom relacionamento entre os clubes. No entanto, nos bastidores da Gávea, se fala em paciência para dar uma nova investida.


Fica claro que a recusa do mandatário tricolor é meramente política. Seria um grande tiro no pé se Bittencourt fechasse negócio com o maior rival do clube das Laranjeiras. Entretanto, o Fluminense se encontra em situação financeira extremamente complicada, devendo salários a variados funcionários do clube, incluindo os jogadores, é claro. 


No fundo, Mário Bittencourt sabe que se encontra em um beco sem saída. Vender Pedro ao Flamengo causaria uma grande revolta nos torcedores tricolores. Não vender significaria continuar com os cofres vazios e afundado cada vez mais em dívidas, podendo causar um desconforto no elenco e com isso trazer problemas ainda maiores.


Aguardemos os próximos capítulos dessa novela.



Por: Lucas Bazílio Nascimento

Nenhum comentário:

Postar um comentário