Breaking News

terça-feira, 2 de julho de 2019

Uma final antecipada


Brasil entra em campo hoje pela Copa América em uma semifinal que poderia tranquilamente ser a final da competição. Uma batalha, um clássico, um jogão daqueles que deixa qualquer torcedor com as mãos suadas e frio na barriga, literalmente um "teste pra cardíaco".
- “Haja coração, amigo torcedor!” É o que diria o mestre Galvão Bueno. E que uma das frases que mais gosto dele se repita: “Ganhar é bom, mas ganhar da Argentina é melhor ainda!”

Brasil x Argentina, um clássico pra ninguém botar defeito. Alguns acham que forçam a barra ao tratar como o maior clássico do mundo, buscando essa rivalidade entre as seleções. Mas, sabemos que isto não surgiu ontem. Vem de muitos anos atrás, e ainda bem que existe esta rivalidade, que hoje, vai além das seleções. Vemos uma rivalidade grandiosa em Libertadores da América quando por exemplo há um Grêmio x River Plate, Cruzeiro x Boca Juniors, Flamengo x Independiente e alguns outros bons jogos, que trouxeram essa rivalidade das seleções principais.

Mas vamos falar sobre a Copa América, e como estas seleções chegaram até aqui:
Brasil passou pela fase de grupos com 2 vitórias e um empate, e nas quartas, passou pelo Paraguai nos pênaltis. Ainda há, grande desconfiança em relação a Tite, suas mudanças, suas convocações, e o atual processo de renovação que nossa seleção passa hoje. Encararemos a Argentina em um estádio em que não sabemos o que é perder para os Hermanos, o Mineirão. 

A Argentina por outro lado, chegou a Copa América como sempre nos últimos anos, conturbada. Há 26 anos não ganham um título, o ultimo por acaso, foi da Copa América em 1993. Até mesmo por isso, a imprensa local prefere que não tratem a Argentina como favorita ao título, pois os torcedores e próprios jornalistas, entendem o processo de renovação da seleção Argentina. Argentina passou pela fase de grupos com 1 vitória, 1 empate e 1 derrota, já nas quartas, 2 x 0 em cima dos venezuelanos.

A Seleção Brasileira hoje, parece bem mais organizada que a Seleção Argentina, porém, a Argentina possui jogadores com habilidades individuais que podem acabar com qualquer jogo, um exemplo claro e fácil é Lionel Messi. Há quem diga que não, mas creio que seja o maior jogador da história da Seleção Argentina, mesmo sem um título expressão por ela. E sabemos que é isto que motiva Lionel Messi ainda mais a buscar a vaga na final. O Brasil também possui talentos individuais, mas que estão um pouco apagados, como por exemplo, Coutinho. Seu futebol anda em baixa, hoje é parceiro de clube de Messi e também busca seu primeiro título com a seleção principal. No entanto, não cabe comparações entre os jogadores.

A organização de Tite irá sobressair a qualidade técnica individual dos argentinos?
Ambas seleções possuem destaques positivos nesta Copa América e que podem fazer uma enorme diferença. Jovens jogadores buscando seu espaço nestes processos de renovação e que enchem os olhos de muitos torcedores e jornalistas.
Lautaro Martínez pela Argentina e Éverton Cebolinha pelo Brasil, será que devemos depositar tanta responsabilidade nestes jovens jogadores? Hoje, acho tranquilamente que sim, podemos! Acredito em um grande jogo destes jovens que serão o futuro de suas seleções!

As prováveis escalações:
Brasil: Alisson, Daniel Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Alex Sandro (Filipe Luis); Casemiro, Arthur, Coutinho, Cebolinha, Gabriel Jesus e Firmino.

Argentina: Armani, Foyth, Pezzella, Otamendi e Tagliafico; Paredes, De Paul e Acuña, Messi, Aguero e Lautaro Martínez.

O que está em jogo é somente a classificação para a final, o alívio para Tite em caso de um título em casa, ou por outro lado, o primeiro título pela seleção principal para Lionel Messi e em território brasileiro.
Foto: Lucas Figueiredo/CBF


PRA CIMA DELES, BRASIL!

Por: Caio Alves Lopes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário