Breaking News

quinta-feira, 1 de agosto de 2019

XÔ URUCUBACA! Galo quebra tabu, vence pela segunda vez o Botafogo e avança na Sula


ESTAMOS NAS QUARTAS...da Sula. O Galo despachou na noite desta quarta-feira o Botafogo ao voltar a vencer o time carioca, desta vez por 2 a 0, com gols de Fábio Santos e Vinicius Goes e mantém vivo o sonho de um título internacional ainda para essa temporada. Depois de uma campanha pífia na Copa Libertadores, o que nos restou foi a Sul-americana, e com a vitória de ontem eliminamos talvez o adversário mais forte do nosso lado da chave no caminho para a final internacional. Ou pelo menos na teoria é assim.

Foto: Ueslei Marcelino/Reuters.
O Fogão nem de longe vive uma fase de brilho no futebol e sofre com vários problemas internos e que acabam refletindo em campo. Mas historicamente sempre se deram bem para cima do nosso Galo. Tirar do caminho essa pedra no sapato já nos dá um alívio e esperança para que podemos ir longe.

O JOGO

Jogando com a vantagem do empate obtida na partida de ida, o Atlético começou o jogo em ritmo muito abaixo e apenas assistia os alvinegros carioca rodar a bola e criar chances de gol na primeira etapa. Bastante seguro na meta atleticana, o jovem Cleiton aparecia bem sempre que era testado. O Botafogo criava muito e arriscava em chutes de longa distância, mas o Galo se manteve firme.

A partir dos 25 minutos o time atleticano melhorou um pouco mais a marcação e deu indícios de que entraria na partida. Aos 30’ após pressão na saída de bola, Vinicius recuperou a posse da pelota e deixou Chará em condições de abrir o placar, mas o colombiano demorou a decidir a ação e a defesa cortou. O lance animou a Massa que compareceu em peso ao Independência e aumentou o volume. Pouco tempo depois, Otero fez boa jogada individual e arriscou de esquerda para ótima defesa de Gatito Fernández. Aos poucos o Galo foi ganhando campo. Ricardo Oliveira ganhou da defesa pela esquerda e bateu cruzado. Otero teve que se esticar todo para finalizar, mas não pegou bem na bola.

Na reta final da primeira etapa, bastante movimentada por sinal, o Botafogo voltou a assustar. O bom lateral direito Marcinho cobrou uma falta da esquerda que explodiu no travessão do goleiro Cleiton. Mas o placar da primeira parte foi assim, o famoso “oxo”.

No segundo tempo o técnico Rodrigo Santana mudou a postura da marcação no meio, e com isso foi ganhando mais campo e cada vez mais encurralando o Botafogo no campo de defesa. Aos 15’ o venezuelano Otero, que não vinha fazendo uma boa partida, deu lugar a Geuvanio, que entrou tentando colocar mais velocidade ao lado direito do ataque do Galo, em dobradinha com Patric, mas surtia pouco efeito. Quem assustou mais foi o Fogão. Após cruzamento da direita, a defesa atleticana marcou mal e Alex Santana subiu sozinho no meio da área e quase abriu o placar.

O time da casa parece que sentia o perigo se aproximando, e aumentou a intensidade. Jair, que foi o melhor em campo, fez ótima jogada pela esquerda e foi derrubado por Alan Santos na área. Pênalti que nosso carequinha Fábio Santos bateu com maestria sem chances para Gatito. Atlético na frente e classificação muito próxima.

Foto: Juarez Rodrigues/ E.M./D.A. Press.
O time do Botafogo sentiu o golpe. A torcida estava inflamada e o Galo aproveitou o momento para matar o adversário. Aos 40 minutos, Vinicius avançou pelo meio, lançou Ricardo Oliveira na área, que finalizou firmou. No rebote de Gatito, ela sobrou no pé direito de Vina que soltou a bomba para fazer o segundo. E quase que saiu o terceiro. Patric bateu forte cruzado e Luan não conseguiu alcançar a bola com o gol aberto.

Valeu pela classificação. O jejum de 25 anos sem eliminar os cariocas em mata-matas acabou. O nosso eterno algoz ficou para trás. Agora é manter o embalo que o título está cada vez mais próximo. A postura sonolenta no primeiro tempo assustou, mas o fato de Rodrigo Santana saber modificar o ânimo do time no intervalo e dar outra cara para a partida deixou a torcida mais tranquila. Por enquanto. Individualmente, Jair se destacou mais uma vez. O jovem volante caiu nas graças da torcida e parece ter cravado seu lugar no time titular. Vem jogando com muita personalidade e dando segurança e dinâmica ao meio do Galo, coisa que os torcedores sempre cobravam dos que já passaram por essa função. Cleiton mais uma vez muito seguro e vai dando mostras de que pode sim receber a confiança para ser o titular, mesmo com a volta de Victor. Vinicius também vem aproveitando as chances, já que o dono da posição Cazares está afastado por causa de uma conjuntivite e também não tem mostrado muita regularidade.

Foto: Bruno Cantini/Atlético.
Nota importante para a noite de ontem, esteve presente no estádio o possível novo reforço alvinegro. Franco Di Santo, centroavante argentino de 30 anos, deve ser anunciado a qualquer momento. Ele estava sem contrato, depois de sair do Rayo Vallecano e pode ser mais um para disputar a vaga com Alerrandro, Pastor Oliveira e Papagaio. Vamos aguardar o desfecho da negociação.


PRÓXIMOS JOGOS

Na próxima fase o Galo enfrenta o La Equidad, da Colômbia, em data ainda a ser confirmada pela CONMEBOL. Mas antes disso, a chave agora muda para o elenco alvinegro, e no domingo tem jogo pesado pelo Brasileirão. Clássico contra o maior rival, no Horto, valendo muito para as pretensões no nacional. Chance de afundar ainda mais o adversário que anda rondando o Z4 e para nos firmar no G4 e manter o pique na busca pela liderança. O jogão será a partir das 19:00.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-MG 2 X 0 BOTAFOGO

Data: 31/07/2019.
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG).
Público/Renda: 22.385/R$465.166,00.
Árbitro: Wilton Sampaio (Fifa-BRA) .
Assistentes: Marcelo Van Gasse (Fifa-BRA) e Bruno Pires (BRA).
Árbitro de vídeo: Leodan Gonzalez (Fifa-URU).
Cartões amarelos: Vinícius, Jair (ATL); Luiz Fernando (BOT).

Gols: Fábio Santos (31’/2ºT, 1-0), Vinícius (40’/2ºT, 2-0).

Atlético-MG: Cleiton; Patric, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Jair (José Welison), Elias, Vinicius Goes e Otero (Geuvânio); Chará (Luan) e Ricardo Oliveira. Técnico: Rodrigo Santana.

Botafogo: Gatito; Marcinho, Marcelo, Cícero e Gilson; Alex Santana, Bochecha (Igor Cássio), João Paulo (Alan Santos), Pimpão (Leo Valencia) e Luiz Fernando; Diego Souza. Técnico: Eduardo Barroca.

Por: Rodrigo Ricoy
@dih_ricoy


Nenhum comentário:

Postar um comentário